EnglishPortugueseSpanish

Melhore sua saúde para sempre e sem fazer dieta
mesmo que você esteja na corda bamba!

O que você faz quando precisa melhorar sua saúde?

O que você faz quando precisa melhorar sua saúde?

Aposto que você já passou por isso: se encheu de coragem, passou uma fome danada, se matou aumentando atividade física, até que, aconteceu um imprevisto ou teve uma lesão, e foi tudo por água abaixo. Quando percebeu, estava no mesmo patamar de antes e acumulava mais uma sensação de derrota! 

Se você viveu essa estória, sabe o quanto é difícil criar coragem para encarar tudo de novo. Então você vai levando como pode. 

Para atenuar o mal estar da preocupação com a saúde, você toma vitaminas, compra comidas mais “saudáveis”, aquelas “novidades fitness” com gosto de borracha. Recorre a suplementos, consulta outros médicos e toma remédios. Quando se dá conta, gastou uma fortuna e continua com um cansaço e mal-estar infernais, além de acumular mais estresse, sem resultados…

Para os homens, as explicações são o estresse do trabalho, as demandas diárias, a pressão por resultados, a falta do exercício… Se for corajoso para assumir, talvez não aguente nem carregar a mala da academia, quanto mais se exercitar como se vê em mil propagandas…

Para as mulheres, são os filhos, a TPM, a dupla jornada, a perimenopausa, a menopausa, o pós-menopausa…

Para adolescentes é o confinamento, a falta de perspectivas. Para os mais velhos é a idade…

Poderia incluir na lista os pais “frescos” que não dormem mais, crianças com infecções de repetição, e por aí vai…

Tantos exemplos com uma única causa, que destrói nossa saúde e se torna a base de TODAS AS DOENÇAS CRÔNICAS. Estou falando de ALIMENTAÇÃO! 

ESPERE! Antes que você corra daqui, vou dizer que eu, mesmo sendo médica, já estive nessa situação. Só que saí dela melhor do que nunca! Depois dos 55, depois da menopausa, depois de muita dor.

Sei bem o que é tudo isso, e vou só contar um pouco do meu drama para você ter certeza de que também pode se sentir com muita energia e disposição, seja qual for sua idade e condição de saúde atual!

Eu achava que, sendo médica, sabia o que era alimentação saudável. Comia alimentos com teor reduzido de açúcar e gorduras, e nem adoçava o café! Encarava barrinhas e coisas muito sem graça, aquelas que nem um lobo faminto iria querer! E que ainda me davam dor de estômago, gases, cólicas. Eu imaginava que o problema era meu, que sempre gostei de comida de verdade. Mas agora estava velha, e então, só podia ser isso! Aos 50 anos, imagine! 

Comecei a ganhar peso. Me matava nadando, ganhei tendinites. Mudei de exercício, ganhei bursites. Fui fazendo fisioterapia e mudando o tipo de exercícios até que as dores começaram a atingir as minhas mãos. Essa foi uma cena de horror na minha vida, já que sou cirurgiã e a perspectiva de ter que parar aos 50 e poucos anos era muito cruel. 

Busquei médicos e recebi prescrições e mais prescrições caríssimas. Gastei uma fortuna e nada!

Foi aí que resolvi estudar os nutrientes e vitaminas que compunham essas fórmulas caras para tentar entender o que acontecia. Cadê os milagres prometidos? 

Já me assumindo como um caso perdido, achei de comer o que gostava sem restrições. Mas a preocupação continuava e construi uma boa desculpa. Gulosa que sou, pensei que se precisava de vitaminas e suplementos, porque não comer coisas que tivessem essas substâncias? Podia engordar, mas seria feliz e não iria gastar o que ainda podia ganhar…

Por acaso, ou providência divina, comecei a ler sobre a produção dos alimentos, a forma de processamento, as nuances da fabricação de tantos ítens, que são vendidos como saudáveis. 

Quase caí da cadeira lendo alguns textos com muito desencontro de informação! Como me cansei de tanta controvérsia, decidi pesquisar o assunto em revistas científicas de alto grau de confiabilidade. Busquei artigos científicos nas áreas médica, de nutrição, agronomia, e de bioquímica e engenharia alimentar. Foram meses e meses de leituras de artigos. Na verdade, ainda continuo me aprofundando nessa pesquisa. E comecei a seguir as recomendações que encontrava. 

O resultado? TRÊS SEMANAS. Três semanas, isso mesmo, e eu estava sem dor! 

Fiquei desconfiada. Como estava murchando e perdendo um pouco de peso, achei que estava definhando com algum tumor. Pode acreditar que ser médico é ter mais medo de ficar doente…

Mas estava dormindo melhor e sem dor. Estava mais produtiva. Recomecei a fazer um pouco de exercícios e fui progredindo, sem dor, ganhando mais músculos em DOIS MESES… e isso não combina com doenças mais graves, como eu cheguei a pensar…

Apesar de vários quilos extras terem me abandonado sem eu passar nada de fome! Que maravilha!

Não podia guardar essa informação toda só para mim, achei injusto com meus pacientes! Comecei a falar disso com todos que encontrava, mas é bastante informação, e as pessoas me pediam um material que pudessem ler, ou entender melhor. Então, aqui está! 

Durante a pandemia, pensei em quanto era vital estar bem, com menos inflamação, com imunidade melhor, com doenças controladas, ou melhor, sem elas! E me dediquei a escrever, da forma mais fácil possível, mas sem perder a profundidade, tudo o que você precisa saber para decidir por si o que é melhor na sua alimentação. Ao escrever, pensei que até uma criança deveria entender o que eu estava explicando. 

E aqui está, esse livro, que ajuda a conhecer o que acontece com os alimentos dentro de você, mas sem linguagem técnica. Esclarece coisas que você já escutou e até repete, e que podem não ser bem assim… prepare-se para surpresas… 

Toda informação está separada por tipos de alimentos, para que você possa depois consultar facilmente, sempre que quiser tirar uma dúvida. 

Acabou a novela de passar fome, fazer mais uma dieta sem pé nem cabeça!

Nada de perder tempo no supermercado procurando adivinhar se vale a pena gastar tanto com um produto novo. 

E o resto é história, a minha e a de muitos pacientes que venho ajudando a sairem desse buraco negro. Eles têm conseguido isso rapidamente, sem passar fome, só com o que estou ensinando sobre cada tipo de alimento, cada escolha. Sobre o que acontece com você, com cada coisa que ingere!

Alcancei um patamar de saúde aos 60 anos melhor do que em qualquer fase da minha vida.  Melhora de disposição, sem remédios, sem dores e comendo muito bem, obrigada!

Quem seguiu minhas informações perdeu peso, melhorou sintomas de doenças graves, melhorou de dores que sofriam há anos, baixou colesterol e teve até quem deixou de tomar remédios!

Esse livro é sobre isso! Sobre você poder retomar o controle da sua vida melhorando a sua saúde. É sobre saber decidir sobre a qualidade do que consome como alimento. Mesmo quando está viajando, ou sai para jantar com amigos. Você aprende o que escolher e não precisa se excluir do convívio social. Simples assim!

E ao final do livro, com toda a generosidade do mundo, a Luana Ferrari, que emagreceu 35 kg comendo muito bem, conta a sua história de muita dor e superação, e ainda dá algumas de suas receitas mais fáceis e deliciosas. Receitas que se preparam em pouco tempo e com pouco custo, mesmo para quem nunca viu uma panela! Mas que fazem o maior sucesso, até entre a molecada!

Então pare de sofrer gastando dinheiro para alimentar sua dor!

Agora, vá aqui abaixo e clique no link para obter o seu ebook ou livro impresso! Você vai deixar sua vida bem melhor! 

E use o que economizar para se proporcionar coisas melhores na vida. Disposição não vai faltar!

A informação para melhorar sua vida eu já coloquei ao seu alcance. 

Saúde é qualidade de vida!

O livro é fácil, sem dramas, sem complicação, dá para ler na versão digital ou impressa. 

Agora, querer melhorar, é opção sua!

Está aqui, é só clicar!

Sobre a autora
Dra. Elizabeth Brenda Smialowski

Sobre a autora
Dra. Elizabeth Brenda Smialowski

Poderia começar com meu currículo acadêmico, mas prefiro contar um pouco de mim para você entender minha motivação em estudar uma área diferente na minha vida profissional. 

Um pouco de mim, mas que pode dizer respeito a você também…

Há muitos anos, tive um momento em que, de magra que sempre havia sido, passei para a classe do sobrepeso-quase-obesa, com a maior quantidade de gordura do tipo visceral.

Mesmo aparentando ser mais magra do que a maioria, meu exterior não combinava mais comigo. Não me olhava no espelho, estava com o colesterol aumentado, a pressão arterial subindo e, estava sim, profundamente infeliz… 

Na época, a vida me trazia outros “tornados”  à minha volta, e eu, me sentindo o mais fútil dos seres, chorava internamente pela minha imagem corporal. Sentia como uma derrota, pois se nem controlar o meu corpo eu conseguia, como lidar com tudo o que estava à volta?

A menopausa tinha chegado havia pouco mais de três anos, sem nenhum desconforto, até que comecei a me sentir mal. No início, tudo aconteceu bem devagar. Eu sentia um cansaço maior, um inchaço de pernas quando ficava um longo tempo em pé, mas depois também quando ficava sentada. E logo depois, o tempo todo… 

Uma dor aqui, outra ali, sempre justificadas pela idade, pela menopausa. Então apareceram outros sintomas como sono ruim, cansaço e calores, mas depois de cinco anos? Mais quilos na balança, a barriga sempre incomodando (será que era o aperto da roupa que já não cabia?), cansaço para existir (como conseguir fazer atividade física desse jeito?), e aí comecei a sentir MUITA dor…

Dor no corpo, e mais que tudo, dor na alma…

Tentei repor hormônios. Nada aconteceu além de mais calor, e mais peso, e mais fome! Parei com isso.

Com toda a determinação fui à academia mais cara, comprei suplementos sofisticados, fiz musculação, remo, pilates, nadei horas sem fim. Isso tudo sentindo muita dor, e sabe o que aconteceu? Nada! Talvez eu tenha desinchado um pouquinho… e sentido muuuuita dor mais… um cansaço cruel, descomunal. Somei mais gordura visceral!

Então consultei a mais requisitada nutricionista que tinha ouvido falar, gastava horas na cozinha e muito dinheiro no supermercado (mais do que as horas de cozinha) atrás de alimentos magros, saudáveis, zero-isso, zero-aquilo, além de zero-gosto também!

O resultado dessa odisséia era um diálogo com a minha consciência cínica que me dizia: parabéns! Você emagreceu 500g em um mês comendo ração!!! Está com as articulações podres de tanto impacto, e nunca mais vai poder comer um pedaço de queijo, mas está mesmo 500 gramas mais leve, tá brincando??? Deve ser osteoporose deixando seus ossos mais leves, isso sim…

Tristeza, muita tristeza, apesar da vida melhorando ao redor, coisas boas acontecendo, mas que eu pensava que já não eram mais para mim… Nisso tudo, três anos haviam se passado com dor ainda mais intensa e persistente, que ia tomando cada vez mais articulações, agora atingindo até os dedos das mãos.

Cheguei a dizer para mim mesma: está na hora de jogar a toalha, está mesmo na hora de assumir a idade que chegou. Mas como continuava a sentir muita dor, cansaço, e estava com sobrepeso e exames alterados, comecei a estudar um pouco mais sobre nutrição e ter atenção com o que comia, para não me tornar mais uma vítima do trio colesterol aumentado, pressão alta e um “pouquinho” de diabetes. Foi aí que me dei conta do que estava errado! E de que poderia mudar facilmente minha vida, sem ter que tomar nenhum remédio ou viver fazendo cardápios mirabolantes. Achei até simples demais, mas não tinha nada a perder e resolvi encarar essa nova estratégia. 

Comecei com aquilo que era bem simples. Coisas básicas na comida e no planejamento da vida. E em três, isso mesmo, TRÊS SEMANAS, algo mudou.

As dores e o cansaço começaram a melhorar rápido! Logo depois meu sono voltou a ser bom. O inchaço cedeu, e já não sentia mais tanta indisposição. O bom humor voltou. As dores nas costas, com problemas posturais mais difíceis, precisaram de mais tempo de atenção, mas confesso que chorei de alegria o dia que levantei rápido da cama e não tive dor…isso é felicidade plena, podem acreditar.

E como brinde, pouco a pouco, voltei a ficar confortável nas roupas, até que finalmente me reconheci quando olhei no espelho, menos de seis meses depois. Um certo descrédito e até mesmo choque ao olhar os meus pontos críticos e constatar a melhora da celulite e mais contorno muscular tão facilmente! 

No início, neguei o progresso com medo que fosse passageiro. Cheguei a pensar se não estava perdendo peso por estar “doente de verdade”, já que comia à vontade e ainda assim emagrecia. Não estava não! Estava voltando a ter uma vida saudável, isso sim!  

Nesse meu trajeto de estudos e retomada do controle da vida, li e pesquisei muita coisa boa, mas tive que filtrar uma avalanche de “pseudo-estudos” científicos e informações descabidas.

O resultado foi o aprendizado de um caminho precioso e de simplicidade ímpar para ser posto em prática. E isto que eu tinha que compartilhar, torcendo para que você também possa se sentir melhor e mais dono da sua vida. 

Agora que você soube um pouco da minha pessoa, aqui vai um pequeno resumo da minha vida profissional. 

Sou médica formada pela EPM — Unifesp. Fiz residência em Cirurgia Geral e depois em Cirurgia Plástica. Defendi meu mestrado na Unifesp e obtive o Doutorado na FMUSP,ambas as teses defendidas sobre o tema de cicatrização de feridas.

Sou membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica desde 1991, publiquei mais de uma centena de trabalhos em vários temas e áreas da Cirurgia Plástica.

Recebi mais de 10 prêmios e menções honrosas por trabalhos apresentados em congressos da especialidade.

Atuo como cirurgiã plástica, e dentre as cirurgias reparadoras, tenho especial atividade ligada à reconstrução de mamas pós-cirurgias oncológicas.

Desde 2014, tenho estudado alimentos e seu papel na dieta, como forma de recuperar a saúde e auxiliar no tratamento de doenças crônicas. 

Em 2019, comecei a usar as mídias sociais para compartilhar a grande quantidade de informação que acumulei nesses estudos, como forma de facilitar o acesso à saúde e bem-estar, especialmente entre pacientes mais velhos. 

Tenho orientado uma forma de alimentação terapêutica para estimular a longevidade saudável e autônoma, especialmente nos pacientes que sofrem de doenças crônicas como diabetes, problemas cardíacos e reumatológicos, síndrome metabólica e, como não poderia deixar de ser, minhas pacientes que estão em tratamento de tumores. 

Você encontra mais informações sobre minhas aventuras digitais no link:                                    https://linktr.ee/draelizabethbrenda

A grande ousadia:
o alimento como terapia para a vida

A grande ousadia:
o alimento como terapia para a vida

Escrevi o livro usando minha experiência de ter dado muitas aulas, para que fosse uma leitura fácil, simples, acessível a todos. Sempre trazendo o que existe de mais confiável na literatura médica, esclarecendo dúvidas sobre os diversos alimentos. 

Veja só alguns dos capítulos que você vai poder ler: 

Como o corpo se alimenta?

  • Proteínas
  • Lipídeos (gorduras)
  • Carboidratos
  • A importância das fibras
  • A razão da hipoglicemia

 Os vilões modernos

  • Excesso de Sal
  • Açúcar
  • Como adoçar alimentos e o perigo dos adoçantes
  • De onde vêm as gorduras trans
  • E o colesterol?

 O que são Alimentos Processados?

  • Graus de processamento
  • Existem alimentos processados bons?

 Microbiota – probióticos ou os mocinhos do nosso tubo digestivo

Decifrando rótulos

  • Como eu faço a minha compra?

 Orgânicos x  Não-orgânicos

Guia dos alimentos

Alimentos de origem vegetal

  • Frutas
  • Grãos
  • Sementes e Castanhas
  • Verduras
  • Legumes e outros vegetais
  • Raízes e tubérculos
  • Pão, farinhas e cereais
  • Especiarias, temperos e chás
  • Óleos e azeites

 Alimentos de origem animal

  • Carnes
  • Aves
  • Peixes e frutos do mar
  • Leites, iogurtes e creme de leite
  • Queijos 
  • Manteigas x Margarina
  • Ovos

 Outros produtos funcionais

  • Chocolate
  • TCM
  • Vinagre

 Dicas especiais sobre grandes dilemas

  • Whey-protein
  • Suplementos e vitaminas
  • Branco x Integral

  Tipos de dietas

Se você quer saber o que comer para ser saudável, vai encontrar nesse livro o resultado de pesquisas relevantes, traduzidas em linguagem bem acessível, sobre descobertas científicas recentes envolvendo alimentos e saúde. Vai ser capaz de se livrar dos mitos modernos e entender a relação entre alimentos ultraprocessados e o aparecimento das doenças crônicas, inflamatórias e câncer. 

Descrevendo de forma separada os vários grupos de alimentos animais e vegetais, ensino como fazer escolhas melhores, de forma prática, em qualquer situação, mantendo uma nutrição equilibrada. Indico as melhores opções de alimentos para o controle de doenças crônicas e envelhecimento saudável. 

Ao final do livro, encontram-se sugestões de pratos saudáveis e muito rápidos no preparo, mesmo para quem nunca viu uma panela, evitando a tentação de pedir qualquer coisa pelo delivery. E a história da Luana, autora das receitas, que emagreceu 35kg comendo muito bem!

Você encontra informação confiável e se educa para uma vida com menos remédios. 

Que você fique bem e possa viver com muita saúde!

Eu também já passei por isso…

A minha estrada para alcançar um ponto de conforto, de ser fácil manter a saúde e uma figura normal, demandou muito estudo e foi bem tortuosa, mas depois de muita leitura, pesquisa e revisão de conceitos equivocados, percebi que não tem nada de mágico. Na verdade, é até bem simples!

E assim finalmente me empenhei em compartilhar esse conhecimento já lapidado da forma mais direta possível. Algumas vezes acrescento no texto pequenas explicações, com o intuito de ajudar você a entender como o corpo se recupera. Se você não quiser ler os detalhes, pode pulá-los sem risco de perder a receita final. Mas se a curiosidade for maior, vou mostrar como os conceitos foram revistos com base na fisiologia e não se trata de nenhuma moda que vai passar amanhã.

O passo a passo do seu controle sobre seu corpo

Vamos viver muito mais do que em qualquer tempo antes na história do homem. Mas viver doente ou com dor e gastando fortunas com medicamentos não parece o melhor dos sonhos para o futuro.

O que então está ao seu alcance fazer para evitar isso? Muita coisa.

São atitudes simples, que não envolvem custo adicional ou mais tarefas num dia-a-dia prá lá de sobrecarregado. Na verdade, trata-se de simplificar, de limpar o que não serve e usar melhor o que já se tem.

Não há pretensão nenhuma de minha parte em fazer promessas de resultados mágicos. Nem de criar padrões ideais. Apenas selecionei várias informações que vão facilitar a sua vida, em especial se você se sente perdido no meio de tanta informação sobre saúde e bem-estar.

Aonde você vai chegar com isso dependerá daquilo que você se propuser. Pode ser melhorar seus marcadores sanguíneos, ficar mais disposto, ou até mesmo se engajar em uma conquista maior. Tudo depende daquilo que você buscar. Pode até mesmo querer só melhorar um pouco, se animar, e depois querer um pouco além, por que não? Mas futuro é outra coisa…

Falo do agora, do que é possível melhorar hoje naqueles 10 minutos que sobraram para você engolir algo antes de ter a reunião que está consumindo seus neurônios. Daquilo que você pode fazer enquanto está pensando no horário do filho na escola. Naquela hora em que você passa pela prateleira do supermercado já de olho no caixa que está vazio, para não perder tempo. E ainda, poder manter a vida social sem se privar do que é bom, sem ser a companheira que só vai pedir uma salada no jantar e ficar cobiçando o prato do par com um misto de fome ancestral e ódio mortal pela escolha do outro.

Pode acreditar que existe um jeito melhor de lidar com isso. Vamos lá!

A minha estrada para alcançar um ponto de conforto, de ser fácil manter a saúde e uma figura normal, demandou muito estudo e foi bem tortuosa, mas depois de muita leitura, pesquisa e revisão de conceitos equivocados, percebi que não tem nada de mágico. Na verdade, é até bem simples!

E assim finalmente me empenhei em compartilhar esse conhecimento já lapidado da forma mais direta possível. Algumas vezes acrescento no texto pequenas explicações, com o intuito de ajudar você a entender como o corpo se recupera. Se você não quiser ler os detalhes, pode pulá-los sem risco de perder a receita final. Mas se a curiosidade for maior, vou mostrar como os conceitos foram revistos com base na fisiologia e não se trata de nenhuma moda que vai passar amanhã.

O passo a passo do seu controle sobre seu corpo

Vamos viver muito mais do que em qualquer tempo antes na história do homem. Mas viver doente ou com dor e gastando fortunas com medicamentos não parece o melhor dos sonhos para o futuro.

O que então está ao seu alcance fazer para evitar isso? Muita coisa.

São atitudes simples, que não envolvem custo adicional ou mais tarefas num dia-a-dia prá lá de sobrecarregado. Na verdade, trata-se de simplificar, de limpar o que não serve e usar melhor o que já se tem.

Não há pretensão nenhuma de minha parte em fazer promessas de resultados mágicos. Nem de criar padrões ideais. Apenas selecionei várias informações que vão facilitar a sua vida, em especial se você se sente perdido no meio de tanta informação sobre saúde e bem-estar.

Aonde você vai chegar com isso dependerá daquilo que você se propuser. Pode ser melhorar seus marcadores sanguíneos, ficar mais disposto, ou até mesmo se engajar em uma conquista maior. Tudo depende daquilo que você buscar. Pode até mesmo querer só melhorar um pouco, se animar, e depois querer um pouco além, por que não? Mas futuro é outra coisa…

Falo do agora, do que é possível melhorar hoje naqueles 10 minutos que sobraram para você engolir algo antes de ter a reunião que está consumindo seus neurônios. Daquilo que você pode fazer enquanto está pensando no horário do filho na escola. Naquela hora em que você passa pela prateleira do supermercado já de olho no caixa que está vazio, para não perder tempo. E ainda, poder manter a vida social sem se privar do que é bom, sem ser a companheira que só vai pedir uma salada no jantar e ficar cobiçando o prato do par com um misto de fome ancestral e ódio mortal pela escolha do outro.

Pode acreditar que existe um jeito melhor de lidar com isso. Vamos lá!

ALGUMAS QUESTÕES QUE É PRECISO ESCLARECER


Retomar o controle de sua identidade corporal é tarefa sua, não de nutricionistas, médicos, fisioterapeutas e preparadores físicos. Eles ajudam e incentivam muito, mas a sua parte é que faz a diferença. Se você não souber como, terá que procurar informação clara para poder fazer melhores escolhas no seu dia-a-dia. E é aqui que o livro te ajuda com toda a informação. 

Conseguir filtrar a avalanche de orientações e produtos “saudáveis” que há em cada página da internet ou gôndola de supermercado requer um certo domínio de conhecimento, para não se deixar levar por armadilhas de marketing. É sobre isso que escrevi da forma mais básica, para você ter fácil acesso a tudo o que é importante, e conquistar o poder da boa escolha.

Ninguém, além de você, tem a capacidade de transformar sua vida, então é bem importante que você se preocupe em reservar uns minutos do seu dia para planejar uma rotina que se amolde às suas necessidades. Você é quem tem que fazer isso. Posso apresentar uma lista de sugestões, mas você precisa filtrar o que cabe na sua vida. Não é difícil, nem mesmo trabalhoso. Requer apenas um pouco de tempo, bem pouco, no início. E depois, uma revisão do seu planejamento a cada semana, ou a cada mês, e depois apenas se outras mudanças de rotina acontecerem no seu cotidiano.

Sugiro que use os minutos que você gasta para se entristecer com seu mal-estar físico e use-os para traçar e seguir um plano de ação que o tire disso. E ainda vai sobrar tempo… Maldade minha…Desculpe, não resisti apelar…

Quero mesmo passar a idéia de um projeto de melhora de vida que funcione!

Você precisa de informação simples e fácil. A humanidade evoluiu sem que houvesse doutores e especialistas para tudo. A boa informação nem sempre é mais evidente na mídia. Não existe mágica maior do que o bom funcionamento de todo o nosso corpo. A ideia é só não atrapalhar o que a natureza fez perfeito.

Remédios são importantes e salvam vidas. Se você precisa deles para tratar uma condição atual, tome-os corretamente.

E aja na verdadeira causa da doença para melhorar sua condição física!!! 

DEPOIS disso, com a orientação do seu médico, você talvez possa ir se livrando daqueles que já não forem mais necessários. Como é o caso de quem perde peso e com isso se livra da resistência à insulina ou da hipertensão arterial. 

Mas é importante que você tome medicamentos corretamente, e que você não se iluda achando que pode viver comendo besteira, e depois correr e tomar um “remedinho” que o estrago será banido.

Escolha criar bons hábitos. Hábitos constroem a história das nossas vidas. Muita gente já escreveu sobre isso. O que você precisa lembrar: que para que você adquira um novo hábito ele deve ser mantido diariamente por no mínimo três semanas, se possível, no mesmo horário. Deve ser o mais simples possível.

Mudanças drásticas e complicadas quase nunca se perpetuam. E a busca aqui é por facilidade e simplicidade. Coisas que ajudem a aliviar o seu dia e o seu peso, não o seu bolso ou sua energia.

Métricas e metas – comparações

Você só precisa se comparar com você mesmo. Esqueça quem está por perto, na mídia, ou nos seus pesadelos. Se hoje você só conseguiu metade do que se propôs, já valeu! Foi melhor do que ontem que você não fez nada para melhorar sua vida.

Metas são importantes. São motivadoras até um certo limite. Metas impossíveis só geram estresse e frustração. Se sua meta hoje se enquadra nesta categoria, não é preciso desistir. Você precisa subdividí-la para criar uma estratégia de como alcançá-la. Assim, só terá que ajustar os passos para chegar até lá. 

Remédios e milagres

E finalmente, uma palavra séria sobre remédios e seus poderes. Os remédios têm o papel de consertar algo que saiu do controle.

Eles baixam os números indesejados de colesterol, de glicose, matam bactérias, mas quem faz mesmo a mágica de reparar o dano, ou curar você da doença, é o SEU PRÓPRIO CORPO.

Com a sua ajuda tudo melhora, sem ela você apenas vive um faz-de-conta. O nível glicêmico ótimo às custas de vários comprimidos para baixá-lo não faz com que os riscos da doença não se manifestem mais tarde. Entendeu a importância das suas atitudes?

Não são os gráficos evolutivos dos laboratórios que o fazem se sentir melhor durante o dia, é o oposto. Você, cuidando de você, é que consegue resultados melhores nos seus marcadores sanguíneos.

Aprender como o corpo funciona ajuda a escolher melhor a cada momento. O impacto disso na sua saúde é muito maior do que grandes revoluções que não duram mais que uma semana.

Importância da simplicidade para a continuidade e progresso.

Quer melhorar? Vamos tentar coisas fáceis, mas que tenham grande impacto a longo prazo. 

Um pouco que você poupe a cada dia, ao longo do tempo vira milhão, não é assim que se diz? A mesma coisa com saúde. Poupe e você será poupado!

Saiba que viveremos bem mais do que as gerações anteriores. Então é melhor não estar doente, para não consumir seus recursos com remédios, certo?

Como sair desse ciclo vicioso?

Primeiro esqueça contar calorias. ESQUEÇA!!!

O passo fundamental aqui é entender onde estão os vilões que comprometem a alimentação saudável. Se você conseguir se livrar deles poderá até perder peso sem fazer grandes restrições de porções. Você poderá comer mais, saciar sua fome, se aprender a comer melhor.

Então, o que comer para ser saudável?

Esqueça alimentos milagrosos! E coma comida de verdade. Aquela que realmente mata a fome e faz com que você consiga ficar sem se alimentar por intervalos maiores que 3 horas, sem ficar desesperado atrás de um “docinho”. Não é fisiológico, nem racional, comer a cada 3 horas, a não ser que você tenha alguma condição de saúde especial.

Você já pensou que a humanidade existe e sobreviveu comendo quando podia encontrar alimento? E garanto que não havia barrinha de cereal ou shake esperando na porta da caverna para que se pudesse matar a fome de 3 em 3 horas. Então só coma quando estiver com fome, mesmo que no início isso pareça loucura, já que você parece ter fome o tempo todo. E para não ter fome o tempo todo tem que aprender a comer direito.

O que você pode esperar de A GRANDE OUSADIA?

Não tenho a pretensão de prescrever uma dieta, um cardápio ou equivalente. Mas vou traçar diretrizes para que comer deixe de ser um problema logístico. Traduzindo, quando algum nutricionista ou médico disser para comer isso ou aquilo, você vai saber o que comprar no supermercado, sem ficar perdido, vai poder decidir qual a melhor opção no restaurante, ou até como equilibrar seus gastos com melhores opções de alimentos, sem falir no final do mês.

E com isso você vai viver mais confortável, leve, com menos preocupações e isso certamente vai ajudar você a ser mais feliz!

Venha ousar viver bem! Quero você nessa conquista de uma vida longa e feliz!

EnglishPortugueseSpanish