EnglishPortugueseSpanish

Final de Ano não é fim do mundo!

Festas! O lado bom de comemorar

Sempre me pergunto, desde criança, o porquê de tanta comida na época de festas. Lembro bem da trabalheira de todos, da comilança generalizada que fazia muitos se queixarem e pior, das sobras indecentes de grandes que eram reaproveitadas por dias, apesar de ainda uma boa parte se perder. E depois, numa família de classe média, a queixa dos gastos excessivos, que implicavam em reduções na verba dos passeios e outros supérfluos durante o verão.

Havia a idéia de passarmos festas com fartura, de proporcionar um momento agradável com algumas coisas extraordinárias na época, mas o excesso de comida era notório! Muito além do bom-senso.

E o pior, é que décadas se passaram, a família já se espalhou e se reduziu a pequenas ilhas, e ainda assim, repete-se esse padrão do excesso.

Vejo essa prática do excesso como fato comum em outras famílias. Vamos então pensar um pouco mais sobre isso? Ter uma mesa farta e agradável para comemorar com as pessoas a quem você quer bem interessa a todos. Compras de ítens um pouco mais sofisticados são bons registros de um ciclo que se fecha com muito a se agradecer. Mas gostaria de convidar você a ter uma atitude mais amadurecida sobre a loucura que se apossa de todos nos últimos dias do ano, em especial no que diz à comilança e às consequências disso.

Comecemos pelo lado óbvio do excesso de oferta de comidas muito gordurosas e doces sobre a mesa. Todos vão reclamar depois!

As comidas mais densas são muito adequadas para invernos rigorosos de outros países, mas aqui no Brasil, num calor de quase 40 graus, todos transpiram, se sentem mal, a comida pode estragar facilmente causando intoxicações mesmo aos mais cuidadosos. A solução óbvia é adaptar o cardápio para alimentos mais leves, porém cheios de sabor.

A idéia de agradar a todos é válida, mas que tal agradar um nas entradas, outro no prato de carnes, um terceiro na massa e depois ter umas opções de sobremesas que agradem à maioria. Assim cada um é contemplado com o seu quinhão de agrados e não é preciso fazer um banquete para cada um, multiplicado por muitos. Se houver aquela eterna divisão de tarefas onde cada um leva um prato para exibir seus dotes, combinem antes de quanto será feito de cada coisa. Se um grupo gostar de bacalhau e outro de pernil, não multiplique as quantidades pelo total de pessoas. Faça uma conta pensando em quem efetivamente vai preferir comer uma coisa ou outra, assim se evita um enorme desperdício! Asseguro a você que ainda assim vai sobrar comida! E por favor, considere doar de forma bem generosa e cuidada o que não for consumido naquele jantar ou almoço. Não espere azedar e deixar ir para o lixo! Afinal, não estamos todos tentando ser melhores pessoas ao comemorar as festas? Nem todos terão essa felicidade que você pode desfrutar, então exercite a generosidade. É bom! Deixa VOCÊ mais feliz!

Outro ponto: não é necessário que haja uma sobrecarga de custos e de tarefas para todos. Quem tem grandes habilidades para montar uma mesa bonita, que o faça e deixe assim seu presente para todos. Quem for bom de criar cartões, especialmente com as crianças, que se proponha a ter momentos para montar trocas de cartões significativos. Quem for bom nos coquetéis que chegue cedo para assumir o posto e assim por diante. Todos se satisfazem participando com o seu melhor na festa e o resultado é único! Sua festa será incomparável e todos vão se sentir prestigiados.

Sugestão de mudanças:

  • troque refrigerantes e sucos prontos por coquetéis charmosos feitos sem álcool, mas com o mesmo capricho de bartenders. Água com gás com folhas de hortelã, ou pedacinhos de frutas, além de saudável é muito lindo! Arranje copos bem bacanas e pense nos drinques de verão, faça a sua versão super charmosa e que não acaba com a sua cintura! Crianças curtem muito essas explorações!
  •  esqueça o churrasco! Ele é um grande vilão e não tem nada de fácil! Dá um trabalho danado antes, durante e depois, além de só ter acompanhamentos também ruins para a saúde! Gosta de uma carne? Opte por assados com molhos super diferentes e acompanhamentos bem pensados e coloridos. Uma parte importante da dieta é ser agradável aos olhos.
  • se pensar em acompanhamentos, deixe de lado as coisas “gordas” óbvias e invista em muitas saladas feitas com folhas, grãos, castanhas e molhos incrementados. Nada de molho pronto, combinado? Se gostar pode incluir frutas também.
  • legumes crus, ou cozidos levemente, têm texturas e cores mil, e podem ser usados para mil finalidades. Fatias de inhame ou batatas assadas podem servir de base para entradinhas, tiras de abóbora podem ancorar uma carne com molhos. Peixes combinam demais com legumes misturados e arranjados sobre folhas de vegetais, tudo muito fácil, saboroso e lindo!
  • use e abuse de arroz vermelho, negro, cores exóticas para seus molhos e temperos. Aqui a raiz de açafrão dá sabor e cor incomparável a seus pratos.
  • para quem curte tortas, deixe de lado as massas “podres” e fique com as massas de pão caseiro ou pizza. Elas criam bases para recheios saborosos e têm muito menos danos ao coração de todos.
  • para tortas doces definitivamente aposente a massa feita com bolacha pronta e manteiga. Ainda mais se tiver leite condensado e creme de leite por cima! Credo, que coisa ruim e sem graça! Você pode fazer coisa melhor! Experimente fazer um “crumble”de várias castanhas prensadas com pasta de tâmaras ou ameixas pretas e congelar. Fica uma camada fina com muita textura que pode receber cremes deliciosos com mais benefícios do que as famosas massas farinha+manteiga+montanha-de-açúcar!
  • e que tal se inspirar e fazer sabores de cremes e sorvetes deliciosos e coloridos SEM AÇÚCAR e gorduras?

Se você acha tudo isso impossível, pode acreditar que não é! Dê uma pesquisada na receita do “nice-cream” que está no livro e o perigo é você viciar em comida saudável! Lá também tem mostarda feita em casa e um monte de coisas boas, como quibe de quinoa e tahine feito a partir do grão.

Inspire-se para uma mudança positiva! Já passou da hora de viver bem sempre, especialmente em comemorações! Ninguém mais aguenta a mesmice de comida demais e pouco saudável. Preste atenção nisso:

COMIDA NÃO SAUDÁVEL É PENITÊNCIA, NÃO CELEBRAÇÃO!

MATÉRIAS RECENTES

EnglishPortugueseSpanish