Diversificação do seu Portfolio

ESTE POST É SOBRE NUTRIENTES E HÁBITOS, MAS IMPACTA SUAS FINANÇAS TAMBÉM 

Portfolio parece coisa de design ou investimentos. Entretanto portfolio deveria ser das escolhas alimentares para se manter saudável também. Confesse que quando você ouve a expressão ‘escolhas alimentares para uma vida saudável’ duas possibilidades vêm à cabeça.  Ou significa grandes elaborações para planejar o que comer ou, ao contrário, a sensação de privação e tédio no paladarNenhuma das duas parece muito animadora, não é mesmo? 

Vamos então pensar de uma forma diferente. Imagine aquilo que você come diariamente, sem pensar muito a respeito. Quase sempre você vai encontrar alimentos que compra pelo hábito, pela facilidade de preparo e para quebrar essa monotonia, escapa com guloseimas para se recompensar da falta de prazer. Também já fiz isso! Não dava a menor bola para o que comia, até porque nunca tinha tempo para nada, quanto mais para cozinhar! Aí, quando podia, escapava para um restaurante e comia muitas coisas desnecessárias. Na verdade, isso só acontecia para eu dizer que finalmente estava tendo uma refeição sentada, com calma, e aí comia para saciar os sentidos, passando muito do confortável para o meu estômago dar conta de digerir. Depois, vinha o desconforto e/ou a culpa…  

A verdade é que os nossos hábitos têm grande influência na construção de uma rotina alimentar, seja ela ruim ou saudável, e cuidar disso não deve ser sinônimo de mais tarefas para uma agenda transbordante. E nem de um custo proibitivo. Daí a minha associação de escolhas alimentares com um portfolio de opções. Não estou pensando em um cardápio, mas em você saber o que é melhor entre o pior quando está fora da rotina, ou como ter uma rotina fácil, para que isto se transforme num jeito simples de viver e que some pontos positivos na sua saúde a longo prazo. Parece confuso? Então vamos mais devagar nessa questão.  

HÁBITOS E TÉDIO 

Somos animais de hábitos. Tanto isso é verdade que nos últimos anos temos a publicação de uma enxurrada de livros sobre técnicas para ajudar a construir hábitos saudáveis. Através de pesquisas, houve a constatação de que o nosso sistema nervoso se acostuma, e até mesmo espera, algo que aconteça de forma constante, no mesmo horário, por 21 dias consecutivos. Isto cria um estado de “normalidade e constância, que é o hábito. Sabendo disso, vamos entrar no outro lado dessa moeda de formação de hábitos 

Se você se acomoda com um determinado cardápio e repete constantemente, isso passa a ser o esperado pelos seus sentidos, que se empobrecem sem mudanças. Nada poderia ser mais tediosonão é? Então imagine pedir comida de delivery ou encontrar a mesma coisa na geladeira todos os dias…Durante um tempo é até bom e ficamos felizes com a repetição de um padrão. Mas… 

Tédio significa perda do prazer, então pense sobre a chatice extrema de um cardápio monótono. Seu cérebro vai tentar sair dessa mesmice, pode acreditar. O que leva a uma necessidade de obter prazer de novas formas. Sim, somos animais em busca de prazer Como seus sentidos fazem isso? Através da intensificação das sensações já conhecidas. É o caso do uso do sal, que você se habitua e vai adicionando cada vez mais.  

Com o açúcar acontece algo mais intenso, pois ele ativa áreas de prazer maiamplas dentro do nosso sistema nervoso. Pronto! Está criada uma dependência química da liberação de neurotransmissores cerebrais de prazer. Só que nesse efeito de obtenção de prazer existe uma limitação físicacausada pela adaptação do paladar através da dessensibilização das papilas gustativas, que fazem com que você tenha que comer cada vez mais açúcar para sentir o mesmo saborParece, e éa mesma estória dos usuários de drogas. Até que acontecem as overdoses… 

O consumo de frequente de grandes quantidades de açúcar cria uma constante descarga de insulina, o hormônio que controla nosso nível de glicose no sangueA liberação de insulina após ingestão de açúcar refinado se faz em um pico, que por sua vez abaixa a glicose também rapidamente. Assim temos movimentos extremos entre altos valores de glicose em um tempo e, a seguir, uma baixa repentina, que nos faz ter mal-estar e procurar ainda mais doces. Forma-se uma gangorra de hormônios e de sensações a cada poucas horas. Isso tem consequências muito sérias como a instalação de um quadro de resistência à insulina, que caracteriza o diabetes do tipo 2.  

Agora você entendeu que porque o tédio das escolhas alimentares leva a um mau hábito como consequência. Se, no entanto, você tiver um cardápio variado, baseado em diversidade de texturas e sabores, você não sofrerá a acomodação dos sentidos e isso será mais motivo de prazer.  

Foque na idéia de obter sua fonte de energia e proteínas a partir principalmente de grãos, complementado pela maior diversidade de vegetais. Este simples princípio será uma boa aquisição como hábito, onde a variação de elementos do prato a cada refeição impede a monotonia causadora do reforço por quantidade, seja de açúcar, ou do próprio volume ingerido.  

A retirada do açúcar e troca por carboidratos complexos, que liberam pequenas quantidades de glicose pouco a pouco, reduz enormemente a quantidade de variações de insulina e do teor de açúcar no sangue. Isto gera equilíbrio de funções e reduz o alto e baixo de neurotransmissores no seu cérebro. Você fica em paz! 

Além disso, você aumenta a chance de complementar nutrientes diferentes necessários ao equilíbrio do corpo. Esta nutrição adequada cria bem-estar e disposição que se refletem no sono, concentração e humor. Desse modo, você consegue aumentar performance em todos os setores da vida, de melhorar o aprendizado e percepção, a ter melhores atitudes na sua relação com outras pessoas e consigo próprio.  

E o que isso tem a ver com seu bolso? Muita coisa no sentido de sobrar mais dinheiro dentro dele! Primeiro, se a regra é variar, as opções são numerosas e você terá a possibilidade de adaptar suas escolhas respeitando a sazonalidade dos alimentos. Bom para você, que come alimentos colhidos no tempo certo e já ‘amadurecidos’ para servirem de boas fontes de nutrientes. Bom para seu bolso que paga menos por isso, e bom para o meio ambiente, já que os cultivos respeitam os tempos da natureza sem os artifícios das culturas crescidas e amadurecidas com aditivos químicos.  

E se você não gostar de um alimento? Se você for um bom explorador de novidades escolha diferente na próxima vez.  

Tente este recurso poderoso do hábito para criar metas qualitativas alimentares para você. Metas cumpridas são poderosas formas de gerar uma sensação de realização e prazer. Estabelecer a técnica da criação de um novo hábito como comer folhas verdes na refeição do meio do dia todos os dias por 3 semanas é uma meta fácil de ser atingida, boa para ser tornar hábito e muito gratificante pela conquista. Sua saúde agradece e com isso muita dor é evitada. Muito remédio, tratamentos, tempo gasto com consultas e medo de adoecer é dispensado. Consegue imaginar a economia de recursos e melhora de qualidade de vida? 

Não faça sua vida seguir por um caminho indesejado. Tome o controle da situação através de pequenos movimentos. Cada mínimo progresso cria uma esteira poderosa de ganhos que se ampliam no que concerne à manutenção de saúde e disposição.  

Ninguém, gozando de plena saúde e tendo real bem-estar, é capaz de ser mal-humorado, obeso ou deprimido. Pode apostar que o que hoje achamos que são traços de personalidade são muito ligados a sensações de desconforto físico, dor ou incapacidade de sentir prazer por alterações químicas, mas esta é uma outra estória, que fica para um próximo post  

MATÉRIAS RECENTES