Leites de origem animal

A importância da informação

Se você pensa que ao ver uma tabela bem organizada você já vai ter desvendado todos os mistérios sobre o tema, vá com mais atenção. 

Estou insistindo nisso pois encontrei uma pesquisa muito cuidadosa feita pelo Yuri Vasconcelos na revista Super Interessante. Veja o link da reportagem abaixo. Ele pesquisou o conteúdo nutricional dos leites animais mais utilizados no nosso meio e com os dados dele eu fiz a seguinte tabela.

Vaca Cabra  Búfala Ovelha Humano
Proteina 3,4 2,9 3,6 4,5 1,0
Gordura 3,7 4,5 7,4 7,4 3,8
Lactose 4,8 4,1 5,8 4,8 7,0
Minerais 0,7 0,8 0,8 1,0 0,2

Percentual de nutrientes % 

Dá para ter um susto quando se olha o teor de proteína e de lactose no leite humano comparando-o aos demais, não é? Mas a informação está correta e por isso escrevi este post, assim conseguimos contextualizar tudo e você começa a entender como nosso corpo se nutre e desenvolve a partir de algo vital. E depois, como devemos pensar nossa alimentação em fases mais adiantadas da vida. 

Só fazendo uma recomendação mais do que necessária: leite bom é aquele da própria espécie, então nada se compara em qualidade de alimentação de bebês como o leite materno. Sempre!!!

Mas e bem mais adiante na vida, como ficamos?

Você já deve estar se perguntando qual é a vantagem ou desvantagem de cada leite para quem gosta ou pensa em consumí-los visando algum benefício nutricional. Aqui estão as ponderações que você deve fazer. 

Inicialmente precisamos considerar alguns pontos. Existe uma grande variabilidade entre os teores de nutrientes segundo a raça dos animais e não é infrequente que a indústria utilize um pool de leites, o que pode significar a mistura de raças, então essa tabela é bem aproximada. 

Os leites têm várias proteínas, a caseína e albumina estão presentes em maiores concentrações. A caseína é a que mais está relacionada com as diferenças do poder alergênico em diferentes rebanhos bovinos. As ovelhas têm grandes quantidades de albumina no seu leite, daí terem um leite mais viscoso, que é quase todo direcionado para a produção de queijos. 

Todos os leites animais têm teores de proteínas largamente superiores ao do leite humano e por isso têm que ser diluídos quando utilizados como fonte de alimento para crianças e com constante supervisão médica. 

O leite das ovelhas possui teores muito altos de gordura, assim como o de búfalas. Mas no leite dessas últimas, não se encontram gorduras do tipo carotenos (os pigmentos amarelos dos diversos alimentos), por isso ele é tão branquinho. 

Pela tabela vemos que o leite de cabra é mais gordo do que o de vaca, no entanto a característica das gorduras confere a ele uma melhor digestibilidade, pelo menor tamanho da micela gordurosa. 

E finalmente, a tão famosa lactose! Não é surpreendente que o leite humano seja o mais rico em lactose? E que os demais leites tenham teores menores? Vou contar o porquê disso.

Quando nascemos precisamos muito da energia da lactose, pois todo o nosso corpo está em franco desenvolvimento. Nosso intestino vem “equipado” com uma enzima chamada lactase, especial para digerir a lactose. Mas a partir dos 4-5 anos de idade, vamos perdendo essa enzima progressivamente. Apenas uma pequena parte da população mundial, em torno de 5%, é que conserva essa enzima após os 5 anos de idade. Não é curioso isso? 

Então acho que a natureza está nos ensinando com isso de que não deveríamos mais fazer do leite um alimento tão constante. Mas você deve estar se perguntando como é que só agora é que se ouve falar em tanta gente com intolerância à lactose? 

A grande verdade é que leite sempre foi um alimento caro e escasso, por isso, reservado às crianças. Só nas últimas décadas é que a indústria passou a usar meios artificiais de aumentar rebanhos e tornou a produção de leite um gigantesco negócio. Através do maior acesso, mais pessoas passaram a consumir leite em quase todas as receitas. Daí o maior número de intolerantes…

Se você já ficou preocupado com os queijos, pode sossegar! Ao se acrescentar as bactérias que produzem o coalho do leite para transformá-lo em queijos ou coalhadas, esses microrganismos se encarregam de digerir e se alimentar da lactose, que deixa de ser um problema. 

Um alívio para quem adora queijos e coalhadas! Só não esqueça de verificar os iogurtes que você compra, se não têm outros açúcares adicionados para cobrir o sabor azedinho natural. Aí é outro problema na certa!

fonte: https://super.abril.com.br/mundo-estranho/qual-animal-tem-o-leite-mais-nutritivo

 

 

MATÉRIAS RECENTES